Sobre o Site

BEM VINDOS                                                                                                


O PORQUÊ DESTE SITE

Olá!

Tenho muito material solto por aqui e por ali, em papel, cd's, dvd's, pen's, discos rígidos externos e por aí adiante. Todo este material vem de longe e quero que vá mais além.
Resolvi juntar todos estes pedaços dispersos da minha vida e partilhá-los neste espaço.
A necessidade de exteriorizar sentimentos, de opinar e escrever, levou-me a que desse este passo. Este site está mesmo a calhar, porque no fundo no fundo é o meu refúgio. Aqui desabafo, aqui consigo dissertar e filosofar sobre variadíssimos temas da minha vida e dos meus.
A que propósito? Não sei explicar. Só sei que quando tirei aquele curso acordei. O HTML mexeu comigo. É uma linguagem bonita e as páginas web são um bom espaço para escrever as minhas memórias. Pedaços de mim ao longo da vida. E a minha vida tem pedaços que vale a pena recordar. Um olhar alongado pelos bons momentos. Vou direcionar os meus relembrares para os melhores momentos, pois não me vou maçar nem maçar ninguém com as coisas menos boas da minha vida. As coisas más são para esquecer e não para recordar. A minha vida está recheada de acontecimentos marcantes, que quase posso dizer que dava um blog. Ou um site? Ou dava um filme? Ou um livro?
Lembranças dum passado distante e recente, expostas duma forma simples e despretensiosa, sem rasgos de audácia. Simples como eu que não tenho pretensões a que isto seja uma obra-prima.
Tudo o que posse dizer sobre este assunto é mais que simples palavras. Estou a trazer o passado para o presente e de certa forma a projetar tudo que se viveu para o futuro.
Para viver é preciso arriscar. Não é viver por viver, é preciso fazer algo. As rédeas da vida não são fáceis de segurar. Devemos viver a vida e não ao sabor da vida. Dizer basta a muita coisa. Vou tomar conta da minha vida. Somos seres humanos e temos de viver em sociedade, mas esta tem muitas ratoeiras. A sociedade dita as regras do jogo, e obriga-nos a impor limites e a ter alguns preconceitos. Muitas vezes os valores impostos não são nossos. É assim a nossa mente!
De certa forma, e à minha maneira, vou recordar pequenos eventos. Momentos e olhares das férias, das fotos, dos pequenos e grandes acontecimentos dum passado recente. Mostrar trabalhos de diversa ordem e lembrar as minhas influências musicais. Mas principalmente o que foram as nossa vivências em África. Recordar tudo isto é viver duas vezes. Há muitas memórias com vida para partilhar.
O meu pai teve uma história de vida fantástica, tanto no especto positivo como negativo. Contava histórias do seu passado e dos seus antepassados. Eu tenho como que uma obrigação de deixar testemunhos do meu passado e presente para os meus vindouros.
Tenho um passado de África com acontecimentos ricos de conteúdo.
Ouvimos a miúde histórias de pessoas mais velhas. Como festejavam o Natal, o que comiam, como era a passagem do ano, o que faziam no carnaval e como viviam a épocas festivas. Muitas vezes estas histórias eram contadas à lareira a filhos e netos. São estas histórias recordadas mais tarde pelos nossos filhos aos seus filhos e netos lembrando o que fomos e o que poderíamos ter sido.
São histórias passadas mas com toda a certeza influenciaram naquilo que somos hoje. De maneira alguma, devemos deixar que se percam estes relatos.
As minhas lembranças são bastante dispersas. Eu era um menino traquina e asneirento que me valeram algumas mas monumentais tareias.
A vida é um livro aberto com letras e figuras, com diálogos e monólogos, que nos fazem rir mas também podem perturbar. Em suma, a vida é uma biografia ou um livro de memórias. A vida é um conjunto de folhas soltas escritas ao acaso. Podem ser muito bonitas encadernadas, como podem ser amarrotadas ou até guardanapos do café. Algumas já amarelecidas, demasiado oxidadas pelo tempo. Outras teimosamente em branco e outras tantas muito preenchidas. Mas todas elas têm desenhos, emoções e uma panóplia de sentimentos com que tropeçamos no nosso percurso.
Mas afinal o que é realmente a vida? Como é que posse dizer? A vida no fundo são experiências, são as pessoas que nos rodeiam, os beijos, as carícias, as lágrimas e desilusões, as alegrias e euforias, as viagens, o comer e o dormir. A vida somos nós.
Vamos viver e escrever essas páginas. A nossa vida pode não ser relevante para os outros, mas é com toda a certeza para nós muito importante.
Mattu's