Sobre mim
BEM VINDOS

Olá a todos!


Dissertando e filosofando

Quanto mais escrevo mais me custa fazê-lo. Devia ser o contrário mas não é. Talvez porque cada vez exijo mais de mim. Há coisas que falham e eu não quero falhar. É isto que esperam de mim, não falhar. E tudo isto porque tenho a mania que sou escritor, mas não sou. Acho que me pareço com um pensador. De quando em vez dou comigo a pensar e páro para ler e procuro entender a literatura, a ciência, a filosofia e a religião. Só isso. Divido comigo, o outro eu, o tempo e estas reflexões, mas gostava de partilhar com alguém estas ideias, e que esse alguém me pudesse corrigir. Assim, permito-me errar porque não sou aquilo que tenho a mania que sou.
Vou ter que ser livre de escrever e pensar sem compromissos, nem comigo nem com ninguém. Isto é, sem perfeccionismos, sem pensar em ideologias e religiões.
Vou ser o eu sem rodeios, medos e etiqueta de boas maneiras.
Acho que tenho um certo jeito para alinhavar textos e enquadrar no tempo e no espaço pequenas histórias. Daí a ser escritor vai uma grande distância.
Há pessoas que me pedem para escrever cartas, relatórios, pequenos textos e poesias. Quase sempre fornecem os temas, o que é um bom princípio. Por amor, considereção, honra ou amor próprio, faço um esforço, mas tenho dificuldades como é lógico, pois quando me pedem é para já ou para ontem. Eu gosto de ter tempo para pensar para as coisas sairem bem. Se essas pessoas me pedem é porque acreditam nas minhas capacidades, e eu não quero desiludi-las. Tenho realmente sempre algo a dizer sobre qualquer coisa e consigo dissertar sobre multiplos temas. Mas mais para mim que para os outros.
Escrevo na realidade sobre diversas coisas, mas essas coisas são por vezes ocas e tolas!
A propósito de pensamento, tenho andado a pensar como a vida é bela e amarela. Porque não vivê-la da melhor maneira? É que de repente aparece uma doença grave ou outra desgraça qualquer, e aí já temos tempo para pensar que passamos muito tempo ao lado da vida ou ela é que nos passou ao lado.
O tempo não espera por ninguém e a vida é isso mesmo, não pára, é dinâmica.
Há tantas coisas que vivemos sem que previamente as tenhamos encomendado: Guerra e paz, tristezas e alegrias, riso e choro, bons sentimentos e ódio, como boas pessoas e com pecados, bons sonhos e pesadelos, consciência leve e pesada, liberdade e falta dela, alívio e angústia, verdade religiosa e dúvidas.
Meu Deus! Tanto coisa! E o dia-a-dia? - Profissão, família, o adormecer na paz do Senhor ou com problemas debaixo da almofada, actividades diversas, etc, etc.
Ao longo da minha vida, tenho passado por muitas destas coisas. Por vezes repetem-se de uma forma cíclica. Fazem parte da vida de qualquer um. É por isso que digo e escrevo muitas vezes que tenho várias licenciaturas pela universidade da vida!
A.F.Matos